O cálculo do IMC para as mulheres

O cálculo do IMC para as mulheres


 

O índice de Massa Corporal permite situar uma pessoa numa norma de condição física. Este índice foi implementado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Ele permite determinar a subnutrição ou o excesso de peso de uma pessoa adulta.

 

O cálculo do IMC é o mesmo para os homens e as mulheres. No entanto, certas diferenças são tomadas em consideração.

 

O IMC na mulher

 

Geralmente muito fiável, o cálculo do IMC é uma ferramenta de cálculo simplificado. É por isso que é comum ao sexo masculino e ao feminino.

 

No entanto, é a interpretação do IMC que se deve moderar. É visualmente que a diferença entre o homem e a mulher mais se sente. Por exemplo, numa mulher, o IMC que determina a obesidade começa a partir de 30. Visualmente, essa obesidade é realmente visível com um IMC de 29,9. A linha é portanto muito fina. Num homem, por outro lado, a obesidade só é notada a partir de 31,5. A realidade visual nos homens é portanto mais ampla do que o previsto pelo cálculo do IMC.

 

O aumento de peso na mulher

 

Geneticamente falando, as pessoas do sexo feminino têm mais tendência a aumentar de peso. Além disso, as mulheres têm mais tendência a petiscar do que os homens.

 

O aumento de peso nas mulheres é mais significativo do que nos homens por razões hormonais (entre pílulas anticoncepcionais e gravidez, por exemplo). Além disso, nas mulheres, o número de adipócitos e portanto de células adiposas, é mais elevado.

 

Fisicamente, o aumento de peso nas mulheres situa-se principalmente na parte inferior do corpo. As áreas mais afetadas são o abdómen, as ancas, as coxas e as nádegas. A gordura acumula-se nessas áreas. Daí resulta o que é geralmente chamado de "alforjes".

 

 

 

O cálculo do IMC irá indicar-lhe a norma em que se encontra assim como um objetivo a atingir. Um profissional de saúde pode ajudá-lo a encontrar o caminho a seguir para chegar ao seu peso saudável.